quarta-feira, 21 de março de 2012

Não desperdice sua energia.


     Abra-se para novas idéias.
É fundamental aceitar as mudanças. Resistir a elas é parar no tempo. Hábitos e pontos de vista novos revigoram a mente.
Os acontecimentos são temporários.
Os efeitos das coisas ruins não duram para sempre. Ficar preso às lembranças negativas impede que a pessoa siga em frente. O tempo realmente cura tudo.
Estar ocupado é melhor do que estar chateado.
A paralisia é uma tendência recorrente em pessoas que enfrentam problemas. Isso é causa de depressão. Tente lutar contra essa inércia e preencha seu cotidiano com atividades.

Preste atenção!
Você talvez tenha o que deseja.
A ambição é saudável, mas é imprescindível dar-se conta de tudo que já foi alcançado. Sem isso, não há sentido de realização.
Procure pensar menos nas pessoas e nas coisas que incomodam.
É importante refletir sobre os aborrecimentos, mas apenas para resolvê-los. O problema é a tendência de se deter nos aspectos negativos da vida. Martelar pensamentos destrutivos bloqueia a mente.

A satisfação é relativa.
A felicidade não se encontra apenas em grandes acontecimentos. As pessoas mais aprimoradas do ponto de vista mental são capazes de encontrar pequenas alegrias em fatos corriqueiros.

Você é uma pessoa não um estereótipo.
Tentar o tempo todo corresponder as expectativas dos outros é extremamente frustrante.

Segundo o budismo são seis as emoções negativas básicas das quais derivam as outras.




1-Apego:
O apego excessivo a coisas materiais ou a pessoas está na base da avareza e da auto estima exagerada. É causa da ansiedade e obsessão.

2-Raiva:
É fonte de ressentimento, rancor, ciúme e inveja. Todos esses sentimentos obscurecem a mente e levam a atitudes intempestivas e equivocadas.

3-Arrogância:
 Impede que se enxergue o próximo, gerando egoísmo, negligencia e menosprezo pelos valores humanos mais essenciais.

4- Ignorância:
A fé radical, que está longe de ser uma virtude e a falta de cultivo das coisas do espírito levam a cegueira em relação a si próprio e ao mundo.

5- Dúvida:
Existem formas sadias de dúvida que tornam uma pessoa mais perspicaz. O budismo prega que é preciso ter uma dose de ceticismo para que haja progressão. Mas um estado de dúvida permanente induz a erros na avaliação da realidade circunstante.

6- Opiniões aflitivas:
É a falta de flexibilidade, a incapacidade de mudar de        ponto de vista. Isso causa rigidez moral e dificulta o  processo de desenvolvimento pessoal e espiritual.

As pessoas são mais felizes quando se permitem serem elas próprias.

  Do livro os cem segredos para ser feliz de: DAVID NIVEN




7 comentários:

✿ chica disse...

Quantas coisinhas não podemos esquecer pra que nossa vida flua mais feliz.Lindo texto! beijos,chica

Maria Luiza disse...

Até a foto postada entra em consonância com o texto que nos impele a caminhar, não parando no tempo!Há sempre um caminho novo, assim florido, perfumado e cheio de trinados para nós caminharmos. Então, vamos? Beijão!

Maria da Graça Reis disse...

olá,Ieda!

Vc colocou o texto pra mim.Tem tanta coisa nele que se parece muito comigo.
Não foi à toa que eu coloquei a poesia: Voa...Voa...Borboleta...
Preciso deixar o meu casulo.
Bjs

claudete disse...

Como perdemos tempo...exatamente ao desperdiçá-lo..parece incoerente , mas não é ...acumular energia e não gastá-la em algo útil e que nos faça caminhar fazendo o Bem é como bem colocado no texto uma perda sem volta. Belo texto.

Valéria disse...

Oi Ieda!
Estar atentos a estes entraves para o viver bem é nossa maior lição. Quanto desperdiçamos com coisas pequenas. Bela reflexão!
Beijinhos e tudo de bom!

She disse...

Amei esse caminho...
Beijo, beijo e excelente semana!
She

vieira calado disse...

Olá, boa noite!

Estou noutro computador,

porque no meu há uma aplicação Texas

que não deixa comentar.

Daí a minha forçada ausência.

Felizmente daqui posso saudá-la!

Bjsss

Voltar ao topo