sábado, 19 de fevereiro de 2011

O poço


Um dia saí de casa em busca de água. Água que pudesse matar a minha sede. Andei muito. Eu queria achar um poço, mas na caminhada só encontrei poças d’água, cisternas rachadas, baldes vazios, falsos poços. Algo me dizia que eu iria encontrar aquele poço que buscava, onde a água era abundante, cristalina, verdadeira mina que nunca iria secar. Andei. Andei muito: Dias, meses, anos...  Minhas sandálias se romperam, meus pés se feriram, o cansaço me tomou. Mas eu não desisti. Percorri várias cidades, campos e montanhas e a certeza crescia: Eu vou encontrar.  E na minha sede, busquei intuindo que estava perto  de chegar. E foi nessas andanças que, de repente percebi que eu estava chegando em  minha própria  casa. Meu coração bateu forte. Entrei correndo, desci ao porão, cavei a terra e uma surpreendente alegria me inundou:
“Um poço muito fundo! Uma  mina que não vai secar!" Destampei bem sua boca, olhei lá no fundo e gritei: - Eu te achei! E ele me respondeu no eco. Te achei... - Eu gritei mais forte: Eu te amo! E o eco respondeu: Te amo... Chorando  de alegria gritei mais forte ainda: Eu te quero! E ele me respondeu. 
Te quero... E foi ali, naquele momento, que a minha voz e o eco se confundiram. Meu corpo molhado na água se derramava, cantava e se identificava com o poço. E então nasceu o encontro, a relação, o diálogo, o amor e a descoberta. E a gente pôde dizer,  bem fundo, de uma só vez, o eco e a minha voz. “Sou eu”, porque o poço sou eu. O poço é Deus dentro de mim.

Reflexões.

2 comentários:

orvalho do ceu disse...

Olá, querida amiga
A água é um símbolo de vida plena...
O convite é feito a todos... cabe a nós optarmos em matar a sede do nosso semelhante uma vez que Ele nos sacia...
Vou ficar sumidinha pelo descanso pós cirúrgico... vou pra roça...
Bjs Dominicais

Cantinho She disse...

Uau! Fiquei aqui de boca aberta, que coisa mais linda! Li e reli algumas vezes, de tanto que eu amei!
Beijo, beijo!
She

Voltar ao topo