sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

As pequenas e bravas andorinhas.


                Certa vez houve  uma inundação numa imensa floresta. O choro das nuvens que deveriam promover a vida dessa vez anunciou a morte. Os grandes animais bateram em retirada fugindo do afogamento, deixando até os filhos para trás. Devastavam tudo o que estava pela frente. Os animais menores seguiam seus rastros. De repente uma pequena andorinha, toda ensopada, apareceu na contramão procurando a quem salvar.
              As hienas viram a atitude de andorinha e ficaram admiradíssimas. Disseram: ‘Você é louca! O que poderá fazer com um corpo tão frágil?’ Os abutres bradaram: ‘ Utópica! Veja se enxerga a sua pequenez!’ Por onde a frágil andorinha passava, era ridicularizada. Mas, atenta, procurava alguém que pudesse resgatar. Suas asas batiam fatigadas, Quando viu um filhote de beija flor debatendo-se na água, quase se entregando. Apesar de nunca ter aprendido a mergulhar, ela se atirou na água e com muito esforço pegou o diminuto pássaro pela asa esquerda. E bateu em retirada, carregando o filhote no bico.
           Ao retornar, encontrou outras hienas, que não tardaram a declarar:  Maluca! Está querendo ser heroína? Mas não  parou; muito fatigada só descansou após deixar o pequeno beija flor em local seguro. Horas depois, encontrou as hienas debaixo de uma sombra. Fitando-as nos olhos, deu a sua resposta: ‘Só me sinto digna das minhas asas se eu as utilizar para fazer os outros voarem’.
          ...Há muitas hienas e abutres na sociedade. Não esperem muito dos grandes animais. Esperem deles, sim, incompreensões, rejeições, calúnias e necessidade doentia de poder. Não os chamo para serem  grandes heróis, para terem seus feitos descritos nos anais da história, mas para serem pequenas  andorinhas que sobrevoam anonimamente a sociedade amando desconhecidos e fazendo por eles o que está ao seu alcance.  Sejam dignos de suas asas. É na insignificância que se conquistam os grandes significados, é na pequenez que se realizam os grandes atos.

O sucesso é mais difícil de ser trabalhado
Do que o fracasso. O risco do sucesso
É enterrar nossos sonhos e se tornar
Uma máquina de trabalhar.

Augusto Cury. Em  o vendedor de sonhos.

7 comentários:

Chica disse...

Bela escolha ao trazer essa mensagem linda!beijos,ótimo fds,chica

Zilda Santiago disse...

O importante mesmo seria,como mostra o exemplo,cada um fazer a sua parte.Bom texto.Grande Augusto Cury!!!Bjks

Suziley disse...

Linda mensagem, Esplendor da criação, gostei! Um ótimo final de semana, beijos :)

Cantinho She disse...

Que mensagem linda, amei! ;)
Bjo, bjo!
She

Jeanne disse...

Muito lindo o exemplo da andodorinha. temos que dignificar a existência através do trabalho no bem.
Beijos

Sentindo e pensando disse...

Resta-nos escolher ebtre sermnos andorinhas ou abutres...

Deyse Joyce disse...

Que texto lindo!!!!

http://deysejoyceblog.blogspot.com/

Bjins

Voltar ao topo