domingo, 7 de novembro de 2010

Ausência de Deus.


Dentre todas as feridas do homem de hoje, consideremos aquela que 
mais nos atinge. A ausência de Deus. Menos espetacular que as outras,
não aparece nas telas de televisão. Uma criança esquelética fere nossa 
sensibilidade. Sabemos sofrer, porém, diante de um homem sem Deus
e sem esperança no mundo? (Ef 2, 12). Onde está nossa fé? São Domin-
gos, São Francisco de Assis gritavam, choravam porque Deus não era
conhecido nem amado: "O amor não é amado"! 

Numa de suas cartas pastorais ( O sentido de Deus) 
o cardeal Suhard já escrevia: 
A profunda razão pela qual desejamos falar-lhes de Deus é que não se  
fala mais dele. Nesse mundo criado por Ele, não há mais lugar para Ele. 
Tornou-se o ausente. Como ficar insensível e mudo diante deste fato? 
Mais do que razão mística, é uma necessidade do coração, é um grito de 
alerta... Não é tanto o fato de enumerar os aspectos desta ausência, mas 
de suscitar-lhes uma consciência incisiva, até senti-la em sua própria carne. 
Pois devemos, o mais rápido possível, num ímpeto de indignação, escapar 
desta lenta asfixia.


Léon Bloy escreve:

É surpreendente que numa época onde a informação meticulosa se tornou
a feiticeira do mundo, não se encontre algum indivíduo que dê aos homens
notícias do seu Criador. "Ele está ausente das cidades, dos campos, das 
montanhas e das planícies. Está ausente das leis, das ciências, das artes,
da política, da educação e dos costumes. Está ausente até mesmo da vida 
religiosa; pois aqueles que ainda querem ser seus mais íntimos amigos 
não sentem nenhuma necessidade de sua presença".


E hoje? Deus está ausente como jamais o foi. Sem dúvida, os cristãos não
deixam de protestar que Deus está em toda parte, no céu, na terra e nos 
infernos. Mas esta reconfortante onipresença, para as multidões que não
creem mais no céu, nem no inferno, e que deixaram, por conseguinte, de 
ter uma noção precisa da terra, equivale, em sua fórmula, a uma ausência 
infinita.
Esta ausência se tornou um dos atributos de Deus. E assim, deu-se baixa 
num Criador, de quem os homens não tem mais necessidade, pois que 
encontraram outra coisa melhor que o Paraíso. Deus está ausente da
mesma forma que é adorável, a tal ponto que se diria dever-se entender
exatamente o contrário do catecismo e que a Beatitude eterna consiste
principalmente em não vê-lo. Tudo exeto isso. É o grande medo do 
homem. Aquele que me vir cessará de viver, foi declarado a Moisés. 
O gênero humano não conseguiu jamais recuperar se dessa Palavra. 
Se ela foi apenas suportável no tempo dos santos, como seria então 
em nossos dias? Sem a vida sobrenatural, da qual as pessoas se afastam 
cada vez mais o desejo da visão de Deus nem pode mesmo ser concebido, 
e a simples ideia de que um Deus possa ser visto não deixará de ser absurda
senão para se tornar um princípio que dá  medo. Está escrito que os 
corações puros são bem aventurados, porque verão a Deus. 
Então o que dizer do contrário, os corações impuros, corrompidos...  
Dia virá, e provavelmente muito breve, em que todas as hipocrisias 
cairão por terra e o mundo inteiro será forçado a reconhecer que está 
absolutamente sem Deus.


Reflexões: I parte.

7 comentários:

orvalho do ceu disse...

Olá,
São Francisco de Assis gritava, chorava porque Deus não era
conhecido nem amado: "O amor não é amado"!
Essa frase é uma das mais lindas que conheço em termos espirituais...
Muito bem usada no contexto.
Uma semana bem feliz sempre com a proteção divina.
Abraços fraternais

Suziley disse...

Boa noite, Esplendor da Criação:
O mundo precisa mais do que nunca de Deus. Ele está ausente das vidas modernas. Mas, nós, cada um a sua maneira, vamos levar com nossas ações, com nossas orações e com nossas ações, o testemunho da sua existência. Assim como o belo texto que nos fez refletir. Obrigada. Boa noite, beijos :)

JOANA CAMPOS disse...

Oie...eu tava meio sumida daqui...e so agora vi as mudanças....ficou lindo!

e que post é esse heim amiga? muito tocante....nos leva a refletir....


beijs

Joana Campos

FADINHA disse...

Amiga esplendorosa, vc tem razão!
Deus é tudo e nada somos sem Ele.
É a nosso criador, impulsionador... Pena que tem pessoas que não consigam enxerga assim, né?
Um beijinho no coração, minha querida!

Beta disse...

Menina, o top comentarista ganha livros!!!

Mande seu endereço para meu e-mail.

bj

Denise Lopes disse...

Olá o Magazine da Dê está fazendo sua primeira Blogagem Coletiva, não precisa ser seguidora, basta participar, fazer novos amigos e dividir conosco um pouco de você. Passa lá, estamos a sua espera!
magazinedade.blogspot.com

orvalho do ceu disse...

Olá, querida
Passo de novo e releio seu post primeiro:
"Mais do que razão mística, é uma necessidade do coração, é um grito de alerta"...
Se todos tivessem essa necessidade... o mundo seria outro...
Olha,por ora,só ficou o dia de ontem estipulado como dia de esquecer um livro... Se tiver alguma alteração,aviso a vc,querida,tá???
Bjs e tenha muita paz interior.

Voltar ao topo