domingo, 10 de outubro de 2010

As feridas do homem de hoje. Parte 3


A mentira

A violência gera ainda a mentira, segundo um processo descrito por Solzenitsin em 
seu testamento espiritual: Quando a violência irrompe na vida pacífica dos homens, apresenta-se com a marca de  uma exaltada confiança em si. Em suas bandeiras 
chamejam palavras de ordem e de ameaças. Sou a violência! Abram passagem! 
Dispersem-se! Do contrário eu os arrasarei! Contudo a violência envelhece depressa.
Após alguns anos já não está mais tão segura de si e, para dominar e manter sua 
dignidade aparente, é infalivelmente obrigada a pedir auxilio a uma aliada: A mentira!
Não conseguindo justificativa,   a violência só encontra cobertura na mentira.
E a mentira, por sua vez, só pode manter-se pela violência. A violência não esmaga 
todo mundo sob o peso de seus pés nem o faz todos os dias. O que ela exige é, 
sobretudo, nossa submissão, nossa participação cotidiana na mentira. Violência
e mentira são inseparáveis. Não nos esqueçamos que a violência não vive sozinha, 
que é incapaz de viver sozinha, está inutilmente associada à mentira pala mais estreita
das ligações naturais. A violência encontra seu único refúgio na mentira, e a mentira
 seu único apoio na violência. Todo homem que optou pela violência como meio deve,
inexoravelmente, optar pela mentira como regra.


Pusilanimidade.

À violência e à mentira  segue-se a pusilanimidade, diante do ressurgimento brutal
da barbárie, nosso mundo, nosso século "civilizado e tímido", não encontra mais 
nada a opor senão sorrisos e concessões. Essa covardia é uma verdadeira doença
da vontade, um estado de alma permanente que se vê em todos aqules que se 
entregam à busca da prosperidade e para quem o bem estar material constitui o 
principal objetivo da vida. Nosso mundo  corre em direção à catástrofe. O preço 
da covardia é sempre o mal.

Reflexões.

4 comentários:

VaneZa disse...

A frase final foi mais contundente do que todo o texto... a covardia é um mal em absoluto.

Brigada pela sua visita!

BeijoZzz

Giardia disse...

A mentira não afeta mais quem a pratica, afeta muito mais.

Quanto ao outro, acreditar nelas, já faz parte de outro universo, outra história.


Boa semana.

Regina disse...

olá!!!
que bom que está concorrendo ao livro augusto cury. você é insubstituivel!!!
cruze os dedinhos, será dia 15, sexta feira!!!
beijos

Luciana disse...

Feliz dia das crianças para vc !, bjs lambuzados de carinho, Lu

Voltar ao topo