quinta-feira, 10 de junho de 2010

Paquera pela internet

  

Declarei mais de uma vez: Acho a internet
Revolucionária como prestadora de informação
E de serviços, mas sempre fui reticente a respeito
Do seu valor como prestadora de amor. Relações virtual
Me pareciam duvidosas, um baile de máscaras, onde 
Ninguém se revelava por inteiro. Os chats, eu tinha certeza,
Eram a forma mais imbecilizada de comunicação
Entre os seres vivos, e a única coisa que me agradava
Era a facilidade de se corresponder com colegas e
Amigos já conhecidos, ainda que sentisse uma nostalgia
Incurável de cartas com selos lambidos ,envelopes 
Amassados e conteúdos secretos. 

Delete tudo o que foi escrito acima:
Mudei de ideia. Conversando com amigas num almoço, dia desses,
fiquei sabendo de vários casos de romances iniciados 
via e-mail. Eu mesma tinha um caso para contar: 
Dei um livro de presente para um amigo que, ao 
Término da leitura, mandou um e-mail para a autora,
Conhecida minha. Ela achou o texto dele bacana
Me pediu referências. Dei as melhores, sem mentir
Nem aumentar as qualidades. Ele também me pediu 
Referências extra curriculares da moça. Recebeu as que eu 
Tinha, que eram poucas mas ótimas. Então eles engataram
uma correspondência intelecto-libidinosa e o resultado
É que, semanas depois, ao cruzarem os olhares ao vivo,
Rolou. Até o momento em que escrevo, o namoro segue
Inabalável e se eu não for madrinha, corto relações com os dois.

Por que está dando certo iniciar um romance 
Através da internet? Talvez seja porque do jeito
Convencional está dando errado. Imagine você 
(homem ou mulher) está num bar quando se aproxima 
Alguém. Por que este alguém escolheu logo você?
Não foi pelas suas ideias, que ainda estão invisíveis. 
Foi pelos seus olhos, sua jaqueta, pela aliança no dedo
Esquerdo que você não tem. O papo vai ser cauteloso,
Meio bobo, como qualquer primeiro contato. Você 
Pode ter um acesso de espirro enquanto fala de como 
É seguro, o outro pode mexer o gelo do copo com o dedo
E depois lamber, enquanto  conta que foi educado na Suíça,
E uma bela história de amor pode morrer antes que 
O bolinho de bacalhau esfrie.

Pela internet o físico não conta e o que é dito 
Não entra em conflito com as atitudes. Só o que se 
Enxerga são ideias, a cultura, o humor e o interesse
Em seguir teclando. Dá para enganar o outro?
Na primeira semana, dá, mas na segunda as máscaras 
Caem você descobre se as almas tem parentesco e a mágica 
Pode acontecer: Você se apaixonar sem saber a cor dos 
Olhos dele ou qual é a medida da cintura dela. Não é 
 Um começo mais confiável?

...o que importa é que esses amores estão vingando 
e eu mudei de ideia, e ambos me parecem uma vitória.


Martha Medeiros, 1999.






2 comentários:

felipe disse...

oi vó é o felipe seu neto

flipe disse...

oi vó eu ñ li o texto ok!!




abraço:seu neto

Voltar ao topo