terça-feira, 24 de janeiro de 2012

A árvore da fé. ( Parte II)


O tempo das raízes.

Para compreender o que nos agrega, precisamos saber que a fé, é como uma 
árvore. Assim como uma árvore, a fé cresce primeiro em profundidade.
Estende suas raízes na obscuridade, até a fonte das águas vivas. Só então,
quando as raízes encontram um lençol de água, sua ramagem pode expandir-se 
para o alto. Precisamos de um tempo para aprender, este é o tempo das  raízes 
que procuram. Sim, que procuram o conhecimento da Palavra de Deus, que
procuram fixar-se na História do Antigo e do Novo Israel. O tempo dos 
ramos e das folhas virá mais tarde. Mesmo se, durante o tempo de 
aprendizado, as folhas já forem ficando mais verdes. Depois o seu
testemunho,  o momento em que as aves do céu - os incrédulos, os sem 
esperança no mundo  - vierem pousar nos galhos da árvore não será para
já, mas para mais tarde. Antes porém, é necessário criar raízes. Uma árvore
com folhas e sem raízes é como uma planta fechada em uma sala. Jamais 
um pássaro nela fará ninho! Criar raízes é trabalho bem humilde. Em latim, 
a palavra humilis, "humilde",vem de humus,"terra". Dela vem a palavra homo
"homem",criatura nascida da terra. Criar raízes na terra há de ser sempre 
tarefa difícil, penosa. Sofrer a pressão do solo que abafa, contornar as 
pedras, vencer as camadas de argila estéril...  A noite da fé não é apenas 
uma imagem: Antes é a nossa própria condição, a condição do grão jogado
na terra e que morre para mais tarde dar frutos. Quando uma árvore é 
envolvida por um ciclone, não são seus galhos quebrados ou seus frutos 
caídos que preocupam, pois, depois da tempestade, renascerão. Mas, e a 
árvore? Continuará enraizada? Assim também, em nossos tempos de
mutação e de incerteza, o que importa sobretudo são as raízes. Devemos, 
portanto, estar atentos para as grandezas artificiais fundadas na vaidade 
ou na moda do momento. Jesus nos previne dos perigos da semente 
que brota rápido e logo seca por falta de raízes ou que é sufocada pelo
mato. O cedro de que fala Ezequiel é uma árvore magnífica, mas será abatida. 
"Porque ele foi tão orgulhoso de seu porte, que ergueu seu topo até às
nuvens... entreguei-o nas mãos de um poderoso das nações, que o tratará 
como merece a sua malignidade, e o destruirá", diz o Senhor. Pensou que 
pudesse bastar-se a si mesmo. Tudo isso poderá parecer-lhes evidente, 
banal. Quem contesta hoje o lugar eminente da Palavra de Deus? Pois 
bem, aí poderá ser exatamente onde reside nossa fraqueza e nossa 
pobreza de recursos na confusão de pensamentos. Do mesmo modo 
como no tempo de Samuel: "Naqueles dias a Palavra de Deus era muito 
rara". Ah! Que bom se encontrássemos uma espiritualidade como a de Isaías:
Todas as manhãs o Senhor me chama aos meus ouvidos, para que eu o ouça 
como a um mestre. O Senhor abriu-me o ouvido, e deu-me uma língua erudita 
para que eu saiba reconfortar pela palavra o que está abatido. Podemos 
servir-nos da Bíblia para temperar nossas teorias e nossas atitudes, como se 
polvilha de açúcar um bolo, ou realmente ela é o fermento que faz levedar a 
massa de nossas vidas? A Palavra de Deus gera em nós a simplicidade  do 
coração e nos dá a lucidez do espírito que não se perde na confusão das
ideias, mas que reconduz o que é múltiplo à unidade. A fé é como uma árvore.
quem faz a experiência do enraizamento admiram e sabem as maravilhas
que Deus é capaz de realizar em em suas vidas. E isto dará coragem 
de avançar quando a noite se torna mais densa, quando a raiz estiver ficando 
lânguida na terra deserta, intransitável e sem água. E conhecerão a alegria da 
descoberta jamais consumada da Palavra de Deus

 


As coisas simples são as mais essenciais.
Volta- se cada dia da vida, aos mesmos problemas, ora com fúria, ora com 
paciência, como o oceano que se lança sobre as praias... Por que meditar
sempre sobre os mesmos temas?  Porque um dia se descobre que são os 
únicos essenciais. Não é sempre a mesma terra que o jardineiro cava
revolve? Pelo fato de o trem passar e repassar sobre os mesmos trilhos, 
estes não enferrujam? (G. Cesbron)

Reflexões.


  

2 comentários:

Lindalva disse...

Hummmm A Árvore Fé em efetivo alimenta a nossa alma. Olá amiga vim dizer que tua inscrição no top blog foi validada. Um beijão imenso no coração!

ELAINE disse...

É sempre um prazer! Seja bem vinda de volta!Uma 5ªF iluminada e repleta de bênçãos!Abraço fraterno e carinhoso!
Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com/

Voltar ao topo